Páginas

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

FÔLEGO

.

me tomasse de assalto
um fôlego em ânimo
e respondesse ao colapso
de um infarto sonâmbulo.
desesperado ao susto,
de olhar aberto
perdido no escuro
da luz que toca
o mínimo possível.
num sino intoável
ressurge acordado
no conforto da cama sem
nada saber
nem quando
e nem quem o colocou ali.
nem ao menos
sabe a quanto tempo.

.

Um comentário: