Páginas

quarta-feira, 1 de agosto de 2007

LIQUIDAÇÃO!

.

Liquidação, liquidação... grita estridente o homem em frente a uma loja estilo povão. Ele diz que está tudo em promoção e com aquele sorriso há mais de 3 horas no rosto, finge estar satisfeito por estar rifando mais um prato feito. Percorre de ponta a ponta aquela imensidão de pessoas que atravessam seu caminho, param e até olham um pouquinho, alheias a toda aquela agitação/perturbação. Mal sabem que como qualquer outro ser humano, o homem gritando não tem coração. Alias, levaram embora e com isso ficou só a sudade em seu peito. Uma jovem senhora aproxima-se em mancidão e pergunta pro rapaz se ele poderia parar de gritar enquanto ela estivesse na loja, pois muito velhinha, disse estar um pouco exautas e só queria ver os preços de uma lavadoura de roupa pra presentear seu único neto que iria se casar em janeiro. Paralizado, com o microfone na mão ele se lembra que seus planos ruíram com aquela partida e que as economias todas foram praticamente em vão. A senhorinha agradece e sorri. Contrariando o gerente, ele aguarda. Respira fundo, despede-se dela e volta a gritar, um dia após o outro mantendo a esperança de não viver na saudade novamente.

[pra ouvir enon - sold]

.

Um comentário:

Lidi disse...

O texto é seu, ou vc extraiu de algum livro, Crisssssssssss?
Eu adorei, rss... (pra variar, né?).
Bjoooooooooooooo, amocê.