Páginas

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

O ESPETÁCULO I

.

Já pode escolher o lugar pra sentar. Nas suas mãos os bilhetes não estão numerados. Aquelas fileiras inacabáveis estão cheias e você não encontra a poltrona mais confortável e em frente ao palco como você queria quando imaginou estar chegando na hora exata. Ocorre que por milésimos de segundo, os outros interessados que tiveram a mesma idéia chegaram antes e é melhor você não por a culpa naquele sinal fechado uma quadra atrás.

É esse o espetáculo. São essas as poltronas disponíveis. Procure por uma em que à sua frente não haja alguém muito maior que você, que ao seu lado não estejam um casal de namorados e que do outro esteja algum cara sozinho. Também não se esqueça que você foi curtir a peça, que a hora passa e que as pessoas vão embora. Se preferir, dá pra lembrar que até que as luzes se apaguem, tem sempre alguém ‘reparando’ em alguém e esse alguém pode ser você.

Só não acho que escolher qualquer lugar valha a pena. Você tem os SEUS ingressos. Eles são sua chance de se dar o valor. Há muita gente em todo lugar, mas não dá pra ‘sentar’ com qualquer um. A peça acaba e, a menos que você tenha sido deixado escolher, voltar sozinho pra casa é um bom sinal de que ao menos, você aproveitou bem.

[um espetáculo em dois atos, mas ainda não tenho meus ingressos não]

.

2 comentários:

lue disse...

hihih, antes só que mal acompanhado não?!!
heheh
depende né... !
mto bom mesmo o texto cris...gostei !!
as coisas acontecem exatamente assim ates de um espetaculo..mas a parte que eu menos gosto e de ter o azar de sentar do lado de uma casal de namorados hauaiaua
beijo swet!

Pessoa X disse...

Captei uma (não sei se posso usar esse termo) metáfora nesse post. Não me chame de retardado por escrever isso. hahaha

ADOREI esse post.. me lembrou um dia memorável cuja memória física está na minha carteira.