Páginas

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

NEM AÍ

.


Sinto muito te dizer isso, mas ninguém tá nem aí. Pode tripudiar, me chamar de negativo, de desumano ou falar que sou mais uma dessas pessoas que não botam fé no homem. O pior é que você sabe disso melhor do que eu e finge que não é com você.

Claro que esse é um pensamento isolado, mas o convívio coletivo tem ficado mais estranho com o passar do tempo, sem hora pra ser desleixado. Como não sou antropólogo e nunca me dei conta disso, fico pensando se a indiferença no comportamento seria mais um obstáculo pra ser enfrentado, do que um muro intransponível.

É uma carona que você podia ter oferecido 'até ali'. É um sal que você não estendeu pro cara do outro lado da mesa. É uma ída à padaria, seguida de um "pessoal, vou comprar pão, alguém quer alguma coisa?". É também um não deixar para depois e dizer agora, "sim, combinado, pode comprar mais que eu pago", ao invés de "poxa, você saiu e não combinou nada comigo". Ah, faça-me o favor, decida se você quer compartilhar ou dividir, se quer começar ou interromper, se precisa mesmo fingir que só existe você aqui.

Ninguém tá nem aí e eu tô cheio disso. Sinto que tem alguma coisa errada com os outros, mas sou eu quem fica esperando que as atitudes sejam diferentes. Daria pra listar várias em um único dia, mas nem vou perder tempo com isso.

Quando afirmo tal heresia, é porque achei que nunca diria isso, mas vou começar a tocar o foda-se e como não tô nem aí eu falo mesmo.


.

4 comentários:

O Que Der na Telha disse...

to me sentindo mal agora!
:/

J.G. disse...

esse post me lembrou uma música: http://www.youtube.com/watch?v=HN0_mN7fWa8
... Preciso andar, vou aí a procurar, rir pra não chorar...
Salve Cartola! Salve Cris!

Carol Freitas disse...

É isso aí. Tudo e cada ponto.

Adorei a reflexão-desabafo.

Bjs!

olivernews disse...

gostei muito desse